14 jun/18

Clima de Copa

postado por Beatriz Oliveira

Brasileiro que é brasileiro gosta de uma festa, não é mesmo? Duvido que você já não criou até um grupo no Whatsapp com os amigos para combinar de assistir juntos a Copa do Mundo.

Para ficar no clima de torcida não só durante os jogos, por que não trazer as cores do Brasil para os looks do trabalho?

Os terninhos são sempre combinações clássicas e elegantes, principalmente, para ocasiões que exigem mais seriedade. Mas você pode fugir do óbvio com looks monocromáticos (uma só cor) como a influencer digital Miroslava Duma.




Já que estamos colorindo a produção, nada de receios ao misturar as cores. Verde + azul ou amarelo + verde, o importante é estimular sua criatividade, mas respeitando sempre seu estilo próprio. Se cores vibrantes são muito chamativas e você é mais discreta, é só optar por cores mais sóbrias.






 
Tudo bem! Vamos parar de falar sobre trabalho. Separa a camiseta do Brasil porque domingo você já tem um compromisso marcado. Short ou calça jeans + tênis branco, mais confortável impossível. Para dar aquele toque cool na produção dobre a barra da calça ou roube a camiseta do boy para usar como vestido, bem camisetão.





Vale make colorida e muito glitter, afinal já é copa HAHAH 
 
Aliás, manda uma foto do seu look para postarmos lá no instagram do Farofa!





Beatriz Oliveira
Editora de Moda do Farofa Cultural
 

13 jun/18

Crítica - Show Pitty no João Rock 2018

postado por Mateus Barbassa

Rita,Bey, Elza e todas as outras


 
Pitty dispensa todos os clichês sobre ser uma representante das mulheres no João Rock. Ela não quer ser única naquele espaço. Não basta representar, precisa abrir espaço para outras.

A baiana escolheu o João Rock como seu retorno aos palcos em 2018 e presenteou os fãs com um show diverso e cheio de nuances. Em uma hora ela cantou seus hits mais românticos, que definiu como “bloco da sofrência”, fez o público vibrar com sons mais pesados e trouxe convidadas.

Em 2017, fez questão de usar sua voz também para pedir por mais mulheres no festival. Neste ano, trouxe Tássia Reis e Emmily Barreto para seu show. Juntas elas mostraram sintonia ao vivo cantando “Contramão”, single lançado dia 05 de junho e que integrará um novo trabalho de inéditas da roqueira.

Apesar de ser fã, eu nunca tinha visto Pitty ao vivo no palco. Ela caminha por ali segura do que está fazendo e desperta a vontade de cantar em coro como se o início dos anos 2000 fosse um passado muito distante.

Lembro-me bem quando comprei seu primeiro CD, “Admirável Chip Novo”, um “pirata” com uma capinha manchada imitando a original. Ouvi em “looping” durante semanas. Era como se eu tivesse encontrado uma voz que sabia  muitas coisas que eu ainda não conseguia expressar.

Ver Pitty tão de perto e tão diferente daquela Pitty de 2004 foi um reencontro. Fiquei pensando em tudo que mudou em mim, nela, no cenário da música brasileira e no alcance da voz das mulheres nesses 15 anos.

A presença de Pitty ganhou força com Tássia e Emmily no palco. O trio fez um “mash up” poderoso de canções de Beyoncé, Rita Lee e Elza Soares. Trouxeram a obra de mais mulheres para a noite e deixaram claro o recado: juntas nossa voz ecoa melhor por aí.
 
ASSISTA AO CLIPE "CONTRAMÃO" COM PITTY, TÁSSIA E EMMILY





Jéssica Romero é Jornalista 

12 jun/18

Crítica - Show "Ofertório" no João Rock 2018

postado por Mateus Barbassa

Show de Família Veloso encanta o público no João Rock 
 
 

Caetano Veloso é um velho conhecido dos Festivais. Se lá nos idos de 1968, ele foi vaiado no Festival da Canção após cantar a música “É Proibido Proibir”, hoje, 50 anos depois, ele se apresentou pela primeira vez no João Rock e trouxe junto seus filhos.

Aplaudidíssimos, Tom, Zeca, Moreno se apresentaram no Palco Brasil junto com Caetano Veloso. A plateia foi ao delírio com a música escolhida para abrir o show. “Alegria, Alegria” é considerada um dos marcos iniciais do movimento tropicalista da década de 60. Composta em 1967, a canção foi apresentada no Festival da Record. A força das palavras arquitetadas por Caetano encontra eco no atual momento político do país. Parece que foi composta ontem. É um grito de liberdade extremamente atual e o público cantou a plenos pulmões.

Mas nem só de canções antigas foi o show. Outro momento antológico foi quando Zeca Veloso cantou “Todo Homem” com um falsete invejável. A música ficou bastante popular após ser a escolhida para a abertura da série global “Onde Nascem os Fortes”. Outra música da mesma série também foi apresentada, “Alguém Cantando”, desta vez na voz de Caetano. 

Lá pelo meio do show, a Família Veloso surpreende com “Alexandrino”, um funk irreverente. É a deixa para Tom arriscar alguns passinhos de funk. O momento arrancou gritinhos das “novinha” que estavam na plateia.

Um dos momentos emocionantes do show foi quando Caetano pediu para Moreno cantar “Leãozinho”. A canção que faz parte do imaginário popular ficou linda na voz de Moreno. O pai ficou assistindo todo babão e no final assumiu os vocais junto com o filho.

“Ofertório”, canção que dá título ao show foi composta por Caetano para a missa de 90 anos de sua mãe Dona Canô. Apesar de dizer que não é religioso, a canção apresenta um sentimento profundo de religiosidade, já que Dona Canô era católica fervorosa. Contradições de Caetano? Nesse momento, ele até brincou com o sincretismo religioso dos quatro que estavam no palco. Dois cristãos, um macumbeiro e um ateu.

O show foi um dos pontos altos dessa edição do João Rock e só prova o quanto os “Velosos” dialogam com nossos tempos.

Assista a performance de "Todo Homem". 
 


 

Eme Barbassa é profissional do teatro. 

 

11 jun/18

Crítica - Show Planet Hemp

postado por Mateus Barbassa

Os 50 são os novos 30

por Jéssica Romero


Se os últimos serão os primeiros, Planet Hemp fez valer o ditado. Com a missão de encerrar mais de 10 horas de festival, o grupo fez um show inteiro na intensidade de quem está só começando a noite. A platéia cantou, vibrou, pulou, girou em roda e pediu bis.

Eu estou prestes a completar 27 anos, não vivi os anos 90 e a explosão do Planet. Conheci as músicas no final da adolescência, gostava, mas não havia identificação. Desde lá acompanho como fã a carreira de Marcelo D2. Letras, clipes, entrevistas e fofocas.

Do meu primeiro namoro herdei o gosto pela música de BNegão. Nos últimos dois anos assisti empolgada a três shows dele. A cada apresentação, mais colada na grade e cantando junto. Apesar disso, de todas as atrações do João Rock 2018, eles não eram os mais esperados por mim. Grata surpresa.

Quando cheguei bem em frente ao palco a explosão já tinha começado. Quem conhece a história do Planet Hemp sentiu a energia quando D2 gritou “A Ex-quadrilha da Fumaça está de volta”. Para quem não é íntimo da trajetória da banda, mas estava lá, pôde ver e ouvir um show pesado. Quem se incomodou certamente foi embora. O espetáculo não é agradável para os que gostam de meias palavras. 

O show do Planet é um grito. Não precisa entender muito de música para dizer. Instrumental, iluminação, o combo quase agressivo das vozes de D2 e BNegão, e mensagens que continuam potentes e, infelizmente, atuais.

Em 1997, eles foram censurados e presos por um judiciário questionável e um país cheio de tabus e hipocrisias com o debate sobre as drogas. Em 2018, o cenário de retrocessos é assustador e as manchetes ganham requintes de surrealismo com as “fakes news” e seus herois. Diante disso, é louvável termos Planet Hemp no palco principal de um festival, cantando seus sucessos e celebrando a resistência para um público de 20,30 40 anos...

O rap e o Hip Hop por si só já são o protesto. Não é preciso ser literal e explicar as bandeiras. Fazer música que toca nas feridas de um país que vive um genocídio negro e que perde sua juventude numa confusa guerra às drogas, é posicionar-se. Apesar disso, Planet Hemp mantém a necessidade de enfrentar todos os limites do que deve ou não ser dito. Ao vivo, sem parar o groove por nem um minuto, eles misturam a imagem da bandeira brasileira ao verde da folha de maconha. O Rio de Janeiro, sua incontestável beleza e violência também se alternam no telão ao fundo do palco. Difícil ignorar. Talvez seja a intenção.

Há espaços para homenagem a Chico Sciense e sua Nação Zumbi, e para gritar a ausência de Marielle, Anderson, Amarildo e tudo que representam.
Eu não vi os garotos maconheiros do Rio causando com suas letras e virando manchete em horário nobre na Globo. Mas vi uns “coroas” cheios de energia ainda tendo que gritar para o Brasil de hoje libertar sua mente: da idéia de Ditadura ou de votar em candidatos fascistas. Maconheiros? Sim, continuam. Sem nunca se esconder, ainda bem.

Mais de 20 anos se passaram, muita coisa mudou e outras se transformaram. A “Ex-Quadrilha da Fumaça” está de volta, se faz presente. Encerrou o João Rock 2018 com um show eletrizante e o cheiro de pólvora acesa sob os debates atuais. Um salve ao Planet Hemp, sempre bem-vindo!


CLIQUE AQUI E VEJA O DOCUMENTÁRIO QUE NARRA A PRISÃO DO GRUPO EM 1997





Jéssica Romero é jornalista 

07 jun/18

Pitty recebe Tássia Reis e Emmily Barreto no Palco João Rock

postado por Mateus Barbassa

Artistas cantam juntas pela primeira vez a música "Contramão" lançada nesta quinta-feira, 7

São três nomes importantes no cenário atual da música brasileira e que unem seus talentos no palco do João Rock neste sábado, dia 9. Pitty recebe Tássia Reis e Emmily Barreto (vocalista da banda "Far From Alaska") durante seu show no Festival e cantam juntas pela primeira vez a música "Contramão", lançada nesta quinta-feira,7.
 

Um encontro para quebrar paradigmas e levar a força do empoderamento feminino ao Festival que espera receber 60 mil pessoas de todo o país. A música "Contramão" selou a parceria das três cantoras e foi composta por Pitty que teve o insigth de que a canção precisava de mais vozes, mais cores e diferentes linguagens, por isso convidou Tássia e Emmily.
 

O inusitado trio se apresenta durante o show da Pitty no palco João Rock a partir das 20h05.

 Pitty, Tássia Reis e Emmily Barreto irão cantar pela primeira vez o single "Contramão" lançado nesta quinta-feira, 7 (Crédito: Takeuchiss)

 

Ingressos esgotados

Os ingressos de Pista do João Rock estão esgotados. Os últimos convites para Pista Premium, Camarote João Rock e Camarote Colorado estão à venda no site oficial (joaorock.com.br) e também nos pontos em Ribeirão Preto – lojas Ophicina localizadas no Shopping Iguatemi Ribeirão Preto e Novo Shopping.
 

Serviço
 

Abertura dos portões: 14h30
 

Palco João Rock
 

15h20 – Napkin – Banda Vencedora do Concurso

16h – Cordel do Fogo Encantado

17h – Supercombo

18h – Raimundos

19h – Skank

20h05 – Pitty

21h10 – Natiruts

22h15 – Gabriel O Pensador

23h20 – Criolo

00h25 – Planet Hemp
 

Palco Brasil
 

17h05 – Mutantes

19h05 – Refavela 40

21h05 – Ofertório

23h05 – Tom Zé
 

Palco Fortalecendo a Cena
 

15h – Kilotones

16h10 – Dônica

18h10 – Sinara

20h10 – Rael

22h10 – Froid

00h10 – Francisco El Hombre
 

Palco Red Bull
 

17h05 – Marujos

19h05 – Mari Nolasco

21h05 – Motriz

23h05 – Enversos

06 jun/18

O Linguiceiro Bar é o campeão do Comida di Buteco 2018 em Ribeirão Preto

postado por Diogo Branco

Estreante no concurso, boteco venceu a disputa com o petisco "Sushi Caipira"


Participantes do Comida di Buteco 2018 


O estreante O Linguiceiro Bar, é o campeão da edição 2018 do Comida di Buteco em Ribeirão Preto com o petisco “Sushi Caipira”. O anúncio foi feito nesta segunda-feira (03), durante a festa de encerramento do evento que aconteceu no Mercure Hotel. Agora, o bar vai concorrer nacionalmente pelo título de melhor buteco do Brasil, junto dos campeões de outras 20 cidades onde a competição também é realizada.


Frederico Pierri Dias Campos e Brunna Jahn do O Linguiceiro 

O petisco “Sushi Caipira” leva em sua receita sushi com tutu de feijão preto, lingüiça artesanal de pernil fina enrolado na folha de couve, com farofa de bacon e pimenta biquinho e acompanha geléia de pimenta. De acordo com Frederico Pierri Dias Campos, um dos proprietários do O Linguiceiro, ganhar em 1º lugar foi uma grande surpresa. “O bar tem menos de 2 anos, então viemos sem grandes pretensões. Fizemos o nosso melhor, entramos com muito carinho no concurso, mas pra gente já estava legal participar. Por isso, quando ouvimos nosso nome ser anunciado como campeão, foi muita emoção. É o reconhecimento de um trabalho que a gente tem feito de valorizar a comida artesanal, caseira, caipira, que desperta a memória afetiva quando o cliente vem no nosso bar. Foi uma experiência incrível”, revela Frederico.

O bicampeão Spettus Bar, que este ano entrou na disputa com o pestico ”Jaba_lou” também subiu no pódio, garantindo o 2º lugar. “Eu tenho uma satisfação imensa em falar do concurso porque ele transformou as nossas vidas de verdade. Só temos que agradecer a todos que foram, experimentaram, prestigiaram e acreditaram na gente e por isso estamos aqui de novo no pódio como vice-campeões”, comemora Luciane Madona, proprietária do Spettus Bar.


Luciane Madona, o Spettus Bar, segundo colocado 

O Empório Mobíglia, que participou do concurso com o petisco “Exibidinha do Chef” foi eleito o 3º melhor buteco da cidade. “Este ano o concurso foi ainda melhor que o ano passado. Foram noites e noites sem dormir, na expectativa, mas valeu a pena. Estamos muito felizes em estarmos entre os 3 melhores da cidade”, conta Marcelo Mobíglia, proprietário do bar.


Marcelo Mobglia, do Empório Mobíglia, terceiro lugar 

Agora, O Linguiceiro Bar participa da etapa nacional que vai eleger o melhor buteco do Brasil. Em junho, uma comissão de jurados escolhida especificamente para essa missão, vai visitar os 21 campeões para eleger o melhor dos melhores. Cada buteco vai receber três jurados, um da própria cidade e dois de outras cidades. O Linguiceiro Bar concorrerá com os melhores botecos das seguintes cidades: Belém, Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Curitiba, Fortaleza, Goiânia, Juiz de Fora, Manaus, Montes Claros, Poços de Caldas, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, São José do Rio Preto, São Paulo, Uberlândia, Vale do Aço e Florianópolis.


Mariana Silveira, coordenadora do Comida di Buteco 


Edmilson Carlos Domingues e Ismael Colosi 


Milton Rahine


Airton Schiavon 


Juliana Nobre e Simone Magalhães 


Anderson Silva e Aline Alves


Denis Ravazzi Gasparotti 

06 jun/18

Leandro Karnal fará palestra de abertura do 4º OPMED

postado por Diogo Branco

Abertura oficial do Congresso Nacional de Órtese, Prótese e Materiais Especiais ocorrerá no dia 22 de novembro



O historiador, escritor e professor universitário Leandro Karnal é um dos palestrantes confirmados para a 4ª edição do OPMED - Congresso Nacional de Órtese, Prótese e Materiais Especiais (OPME). Karnal fará a palestra de abertura do evento, no dia 22 de novembro, às 19h30, quando falará sobre “Liderança no Mundo Líquido”.

Professor Doutor na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) desde 1996, Karnal é autor de livros que tratam sobre a história dos países, como História dos Estados Unidos (Contexto, 2007) e sobre o ensino de História, como História na sala de aula – conceitos, práticas e propostas (Contexto, 2003) e Conversas com um jovem professor (Contexto, 2012).

Considerado um dos pensadores contemporâneos mais influentes, Karnal é bastante popular nas redes sociais. Sua página no Facebook, por exemplo, conta com mais de 1,3 milhão de seguidores.

OPMED – A 4ª edição do Congresso será realizada de 21 a 24 de novembro, no Centro de Eventos do RibeirãoShopping. O objetivo do evento, organizado pela Unimed Federação Nordeste Paulista, é fomentar novas ideias para o segmento de órtese, prótese e materiais especiais, além de discutir sobre os principais gargalos do setor, que movimenta cerca de R$ 14 bilhões anualmente. Mais informações: www.congressoopmed.com.br

06 jun/18

JOÃO ROCK PROMOVE ENCONTROS MEMORÁVEIS PARA FÃS E ARTISTAS

postado por Diogo Branco

Neste sábado, dia 9 de junho, o João Rock promoverá uma grande celebração da música nacional possibilitando encontros históricos em seus palcos. Da Tropicália ao rock autoral, estilos diferentes viverão seu momento de glória no evento que acontece em Ribeirão Preto/SP.


Projeto Refavela 40 traz Gilberto Gil, Anelis Assumpção, Chiara Civello, Mestrinho, Bem Gil e Moreno Veloso para o João Rock 2018. Crédito: Paola Alfamor
 

O Palco Brasil abre espaço para uma versão atualizada do Movimento Tropicália que sacudiu o país na década de 60 e levou ao grande público uma nova maneira de fazer música popular. Com sangue novo de uma geração que conhece essa história bem de perto, o tropicalismo será festejado por Caetano Veloso e seus filhos Moreno, Zeca e Tom Veloso (Projeto Ofertório), Os Mutantes, Tom Zé e ainda Gilberto Gil, Anelis Assumpção, Chiara Civello, Mestrinho, Bem Gil e Moreno Veloso (Projeto Refavela 40).

No palco Fortalecendo a Cena, o Hip Hop de Froid harmoniza com a força das letras de Cynthia Luz. Já Rael receberá Black Alien, Drik Barbosa e Ogi.

Venda de Ingressos

Os ingressos dos quatro setores do Festival – Pista, Pista Premium, Camarote João Rock e Camarote Open Bar – estão à venda através do site oficial (joaorock.com.br) e também nos pontos em Ribeirão Preto – lojas Ophicina localizadas no Shopping Iguatemi Ribeirão Preto e Novo Shopping. Os valores do segundo e último lote, que tem quantidade limitada de ingressos, variam de R$ 125 a R$ 600.

 

06 jun/18

SESC RIBEIRÃO APRESENTA O DOCUMENTÁRIO O HOMEM DO SACO

postado por Diogo Branco

O projeto Cine Planeta do Sesc Ribeirão apresenta no dia 13 de junho, quarta-feira, às 19h30, o documentário brasileiro O Homem do Saco, dos diretores Carol Wachockier, Felipe Kfouri e Rafael Halpern. Lançado em 2015, o filme retrata a vida dos catadores de lixo de uma grande cidade como São Paulo.  O homem do saco é um personagem conhecido por levar crianças desobedientes na sacola. O que muitos não sabem é que ele é um personagem real, um homem que vive à margem da sociedade e caminha invisível perante os olhos de todos, catando materiais recicláveis para se sustentar. Hoje, esse homem desenvolveu seu próprio método de coleta e tornou-se catador, profissão alternativa ao desemprego que assola muitos brasileiros.
 
Serviço

Cine Planeta: Exibição de filme com temática ambiental seguida de bate-papo.
O Homem do Saco
Direção: Carol Wachockier, Felipe Kfouri e Rafael Halpern
BRA, 2015, 58’
 
Dia: 13/06 – quarta-feira
Horário: 19h30
Local: Galpão. 60 lugares.
Classificação: 12 Anos
Grátis
Retirada de ingressos com 1h de antecedência
 

 

06 jun/18

Felipe Folgosi fala sobre seus livros

postado por Diogo Branco

05 jun/18

Teatro Santarosa apresenta neste domingo o espetáculo "Gulliver - Um Gigante Diferente"

postado por Diogo Branco

Espetáculo da Cia Teatral Tertúlia acontece dia 10 de junho, ás 16h. Indicação livre.



O Teatro Santarosa apresenta neste domingo, dia 10 de junho, às 16h, o espetáculo “Gulliver - Um Gigante Diferente”, da  Cia Teatral Tertúlia. Os ingressos custam R$ 30, sendo R$ 15 meia entrada ou antecipado. Indicação livre.

Gulliver é um gato diferente. Não gosta de comer peixes, pássaros e ratos. Todos querem que ele mude, não aceitam seu jeito de ser. Ele fica triste e sozinho tentando entender o que há de errado em ser diferente. O espetáculo tem como objetivo discutir a aceitação e o respeito à diversidade de maneira sutil e metafórica, porém com reflexões profundas da temática para crianças.

Adaptado da obra de Rubem Alves “O gato que gostava de cenoura”,  que  nos atenta para a importância de cultivar nas crianças valores como respeito e empatia. “Criamos um espetáculo sensível e divertido que pretende enaltecer o respeito pelo outro, onde o amor e a amizade são os únicos caminhos possíveis”, ressalta Míriam Fontana, diretora do espetáculo.

“Gulliver – um gigante diferente” é o mais novo espetáculo da Cia. Tertúlia de Ribeirão Preto, premiado com o PROAC 2016 de Produção de Espetáculo Inédito e Temporada de Artes Cênicas Infanto-Juvenil e já participou de diversos festivais desde sua estreia e tem tido uma grande aceitação do público em geral.

Teatro Santarosa
Praça Rotary Club, 325 – City Ribeirão
3916-1350 / 3916-2317

www.teatrosantarosa.com.br

02 jun/18

Novidades deliciosas da Santa Helena

postado por Diogo Branco


Que a Santa Helena faz parte do nosso dia a dia, isso todo mundo já sabe. A novidade é que agora ela conseguiu se superar. Sabe a Paçoquita, aquela paçoquinha deliciosa que faz nossos dias mais felizes? Agora também vem com cacau na massa, e crocantes de chocolate. Saborosa como sempre, mas agora agradando também os chocólatras de plantão, como eu.

O Farofa Cultural recebeu algumas Paçoquitas, e podemos garantir que valem muito a pena. É um pedaço melhor que o outro.






Além disso, a equipe do Farofa Cultural também recebeu um Doce de Amendoim de Chocolate. Confesso que esse ainda não tinhamos provado, mas só por ser da Santa Helena, já quer dizer que vem com qualidade junto, certo? Certíssimo! O doce é INCRÍVEL !!! Daqueles que não podem no armário da cozinha. 

Se você ainda não experimentou essas delícias, corra até um supermercado mais próximo e compre. Temos certeza que esses produtos, recheados com ingredientes de qualidade e muito carinho, farão o seu dia muito mais feliz.





Sobre a Santa Helena

Uma das mais importantes indústrias de amendoim da América Latina, a Santa Helena é reconhecida pela tradição, qualidade e procedência de seus produtos. A empresa possui um vasto portfólio, com itens de referência nacional, como Paçoquita e Mendorato (amendoim japonês dourado), campeões em vendas, entre tantas outras diferentes categorias, como a linha Troféu e as marcas de alimentação saudável Cuida Bem e First.
A Santa Helena leva o melhor do amendoim para todo o território nacional há mais de 75 anos e, desde 1997, exporta para os mercados mais exigentes do mundo, como Europa, América Latina e Ásia. A empresa caminha ao lado da inovação para atender às expectativas de seus consumidores, dessa forma, investe constantemente em tecnologia, melhoria de processos, na qualificação de seus colaboradores e em rigorosos métodos de controle de qualidade da matéria-prima.
Com aproximadamente 1.300 colaboradores, o complexo industrial da Santa Helena está localizado em Ribeirão Preto, no interior paulista. Mais informações em 
www.santahelena.com.
 

01 jun/18

Campeão do Comida di Buteco 2018 de Ribeirão Preto será revelado nesta segunda-feira

postado por Diogo Branco

Na próxima segunda-feira, 04 de junho, Ribeirão Preto vai conhecer o campeão da edição 2018 do Comida di Buteco. De 13 de abril a 06 de maio, o público visitou os 18 bares participantes do concurso, degustou e votou no seu petisco preferido. Agora, chegou a hora de saber quem leva o título de melhor buteco da cidade. O campeão desta oitava edição do concurso, disputará ainda o “Melhor buteco do país”, concorrendo com os ganhadores de todas as cidades participantes do Brasil.

Para chegar ao grande vencedor, foram avaliados os seguintes critérios: petisco, higiene, temperatura da bebida e atendimento. O primeiro correspondia a 70% do peso da nota e os restantes 10% cada um. Além do público, cada boteco também foi avaliado por um corpo de jurados. A apuração dos votos foi feita pelo Instituto Vox Populi.

O concurso foi criado em 2000, com a missão de TRANSFORMAR VIDAS ATRAVÉS DA COZINHA DE RAIZ – BOTECO EXTENSÃO DE SUA CASA. Pioneiro nesse segmento, em 2015 conquistou finalmente todas as cinco regiões chegou ao sul do país, fincando bandeira na última região onde ainda não era realizado. Assim, desde então ele pode ser, legitimamente, chamado de nacional!

O Campeão dos Campeões

Em junho, uma comissão de jurados escolhida, especificamente, para essa missão, vai visitar os 20 campeões para eleger o melhor dos melhores. Cada buteco vai receber três jurados, um da própria cidade e dois de outras cidades. É como se o Comida di Buteco tivesse duas etapas: eleição do melhor da cidade, envolvendo públicos e jurados e eleição do melhor do país validada por outra comissão de jurados que não participou da primeira etapa. O melhor Buteco do Brasil será revelado no mês de julho.

01 jun/18

Luiza Possi em novo clipe

postado por Diogo Branco

Luiza Possi está com nova música e clipe! A cantora estreou na noite desta quinta-feira (31/5) a produção visual para a faixa “Amanheceu” composta por De Maria e um parceria com o músico também nos vocais.


30 mai/18

Final Concurso de Bandas João Rock

postado por Mateus Barbassa




Nesta quarta-feira, dia 30, o Teatro de Arena de Ribeirão Preto será palco da final do Concurso de Bandas do João Rock 2018. O evento é aberto para cobertura jornalística e a equipe da Phábrica de Ideias estará lá para auxiliar os jornalistas nos atendimentos. As bandas finalistas são:

 

- Voltare (Rio Claro-SP)

- Napkin (Joinville – SC)

- Ted Marengos (São Paulo – SP)

 

Confira abaixo a programação do evento:

Local: Teatro de Arena (Parque Morro do São Bento)

Data: 30 de Maio

Horário: 17h às 22h

Entrada Franca

 

Bloco 1: Abertura

- 17h às 17h25: Batalha da 7 (Hip hop freestyle)

- 17h25 às 17h50: Anonimono (Hip Hop)

 

Bloco 2: Final Concurso

- 18h as 18h30: Banda 1

- 18h45 às 19h15: Banda 2

- 19h30 às 20h: Banda 3

 

Bloco 3 – Encerramento

- 20h15 às 20h55: Chavala Talhada

- 21h10 às 21h50: Dinossaurus (Japinha da banda CPM22)

- 21h50 às 22h: Premiação

 

Sobre as atrações:

Batalha da 7: MCs da tradicional Batalha da 7, farão uma apresentação no tradicional formato de batalha de rimas.
 

Anonimono: Grupo de Rap de Ribeirão Preto. Um dos mais ativos da cena hip hop da região.


Chavala Talhada: Desde 1999 constroem suas próprias músicas e apresentam releituras em 1 EP e 3 álbuns gravados. Formada por seis músicos, acompanhados de guitarra, baixo, bateria, percussão e metais, o som é um tipo de "garage n' groove" que mistura rock, ska, samba e funk.
 

Dinossaurus (com Japinha do CPM22): Ricardo Japinha assume vocais e guitarra em novo projeto que traz versões de sucessos do rock'n'roll e composições inéditas do músico.